Impermeabilização na construção civil

A impermeabilização consiste na aplicação de produtos específicos com o objetivo de proteger, preservar e conservar estruturas de deficiências motivadas por causas externas, seja, estrutural, técnica de preparo ou execução. O resíduo impermeabilizante, protege as estruturas e superfícies de deterioração, consequentemente, colabora para boas condições de salubridade do ambiente e bom aspecto físico. O que resulta no aumento da durabilidade, preservando a segurança da estrutura e a integridade física do usuário. Sabemos que a deterioração das estruturas é um grande desafio na construção civil, não é mesmo? Entenda como a impermeabilização pode ajudar. Neste post reunimos informações importantes sobre os tipos e sistemas de impermeabilização utilizados na construção civil, suas fases e custos. Continue lendo e confira.

Projetando edificações duráveis

A obra do Metrô da cidade de São Paulo, em 1968, deu impulso a criação das primeiras normas brasileiras de impermeabilização na ABNT — Associação Brasileira de Normas Técnicas. Em 1975, foi fundado o IBI — Instituto Brasileiro de Impermeabilização, instituto responsável pela disseminação da importância desse procedimento na construção, até hoje. É uma etapa de extrema importância dentro da construção civil, e muitas vezes, deixada de fora do projeto, em busca de reduzir os gastos ou por falta de informação. O que acaba resultando no aparecimento de patologias, como: infiltrações, perda da qualidade da pintura e revestimento, fungos e mofos, comprometimento da armadura de aço de uma estrutura por meio da corrosão e tantas outras anomalias que podem surgir. E assim, a busca de redução de gastos pode se tornar em um prejuízo de até 25% do custo total da obra. A falta de impermeabilização na construção civil não traz só prejuízo financeiro, pode causar risco a vidas. Conheça, no próximo tópico, os tipos de impermeabilizantes usados na construção civil e suas indicações.

Tipos de impermeabilizantes usados na construção civil e suas indicações

Para cada padrão de estrutura, a qual queira impermeabilizar, é utilizado um tipo de específico de impermeabilizante que se adeque a ela. A impermeabilização na construção civil, está classificada em rígida e flexível, conheça as diferenças e aplicações:

Impermeabilização Rígida

Esse procedimento se dá pela inclusão de aditivos químicos aplicados em parte construtiva que não está sujeita a fissuração ou deformação. Os impermeabilizantes rígidos não funcionam em conjunto com os elementos estruturais, isso significa que não podem ser aplicados em superfícies sujeitas a grandes variações de temperatura. Além de não suportar a movimentação da estrutura. Mas é ideal para locais que não fiquem sobre ação de condições de temperaturas constantes. Veja onde usar: • subsolos; • poços de elevador; • reservatórios de água enterrados; • piscinas enterradas; • galerias de barragens. • silos; • baldrames; • muros de arrimo.

Impermeabilização Flexível

Ao contrário do que acontece na impermeabilização inflexível, os produtos são usados em partes construtivas sujeitas à fissuração, geralmente feita com materiais compostos de elastômeros e polímeros. (membranas acrílicas, termoplásticas, asfálticas, de poliuretano, poliuretano com asfalto, etc). Alguns podem ser moldados no local (membranas) ou pré-fabricados (mantas). O sistema flexível é ideal para locais sujeitos à variação de temperatura, porque possuem a capacidade de se alongar em função da exigência estrutural e de absorver a fissuração. É Ideal para ser usado em: • varandas; • coberturas; • terraços; • piscinas suspensas; • pisos frios; • lajes maciças, mista ou pré-fabricadas; • espelhos d’água • jardins; • floreiras; • reservatório de água superiores.

Conheça alguns sistemas de impermeabilização indicados para Construção Civil

Sistema de Impermeabilização moldada in loco

A impermeabilização moldada in loco consiste na aplicação de um produto impermeabilizante líquido, que depois de seco, se converte numa membrana flexível. É indicada, principalmente, para espaços pequenos ou locais de difícil acesso. Diferente da impermeabilização pré-fabricada, a moldada in loco exige maior atenção na execução, já que o bom resultado depende muito do uso de produto de qualidade, normalizado e de mão de obra capacitada.

Manta asfáltica

Realizada com asfalto modificado com polímeros, armada com materiais diversos, sendo os mais comuns o filme polietileno, borracha, poliéster e fibras de vidro A aplicação requer atenção no que diz respeito ao risco de falhas na impermeabilização. Portanto, fique atento e escolha uma empresa que seja especializada e qualificada. Esse sistema é ideal para lajes planas ou inclinadas, piscinas, floreiras, reservatórios de água e áreas frias

Fases da impermeabilização na construção civil

Da mesma forma que os projetos de arquitetura, da estrutura de concreto armado, das instalações hidráulica e elétrica, a impermeabilização também deve estar dentro do cronograma de execução de trabalhos, incorporado ao projeto de construção. Qualquer lugar passível de receber líquidos pode ser impermeabilizado, logo, o projeto de impermeabilização deve ser desenvolvido em conjunto com os demais projetos da obra, para que poso ser escolhido os produtos adequados para cada finalidade. Projetos residenciais, industriais ou comerciais apresentam características distintas, que devem ser consideradas, para isso, é necessário observar suas fases, e contar com uma equipe especializada e materiais impermeabilizantes de qualidade. E quanto custa para implementar a impermeabilização na obra? Continue lendo e confira.

O custo de impermeabilização representa até 3% do investimento de uma obra

De acordo com Instituto Brasileiro de Impermeabilização um plano bem definido e executado representa 3% do investimento de uma obra, caso seja executada apenas depois de serem constatados problemas com infiltrações em construções já finalizadas, a impermeabilização ultrapassa o percentual citado, e pode chegar a até 25% do custo total da obra, pois, os revestimentos, que estão entre os itens mais caros, precisarão ser removidos e repostos. Apesar dos dados que demonstram que a impermeabilização é um investimento necessário, não é difícil encontrar casos em esse procedimento não é planejado com a devida importância por parte dos profissionais do ramo da construção civil, como engenheiros, construtores, arquitetos, projetistas e impermeabilizadores. O que pode trazer como consequência altos custos de manutenção e recuperação desnecessários. É preciso levar em conta a importância a durabilidade das estruturas para reproduzir uma construção segura e rentável. O que achou do artigo sobre a impermeabilização na construção civil? Se foi útil para você, compartilhe o conteúdo.